O meu problema estava exatamente em não saber ponderar as coisas a minha volta, eu nunca fui muito bom nisso de fazer algo pela metade, todas as vezes em que a vida me deixou pendurado pra morrer na ponta do precipício, eu mesmo pulei.
Ciceero M.
Vai passar, você sabe que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe?
Caio F. Abreu.
Não tenho mais certeza se o que eu sinto é amor, existem muitas outras coisas sobre nós que eu também não tenho certeza. É claro que eu quero o seu bem, mas eu não tenho tolerância alta, dá pra entender? Só quero a sua felicidade se for comigo.
You need to go back, Isaac.
Na hora me pareceu uma boa saída, deixar você respirar um pouco, ir ser sozinho um tempo. Não que o amor houvesse acabado. Só estava escondido sob a pilha de defeitos que tínhamos e as promessas quebradas. A vontade de dar certo estava enterrada, e eu estava cansada demais para continuar cavando.
You need to go back, Isaac.
É difícil dizer adeus para o lugar aonde você viveu. Isso pode ser tão doloroso quanto dizer adeus a uma pessoa. Mas eu? Bom. Eu morava em você.
Are you, Gabriel?
O tempo cura tudo. Só não cura o tempo que você perdeu esperando o tempo passar para curar tudo o que você teria ganho, se não tivesse esperado tanto tempo.
Eu me chamo Antônio.
É, o silêncio pode doer, machucar, mas não deixa de ser uma resposta.
Reforcei.
Eu não estou triste, não é saudade. É algo mais complexo, é abismo, é escuridão, não é bonito, me prende, me suga, me impede. Esta é a grande parte, e isso é o que sou de verdade, o lance não era pra abrir o coração? Então, este é o meu. Aliás, quando a gente abre o coração nem tudo é água corrente, as vezes é vazio, sem vida e cheio de marcas. E lugares desse tipo sempre dão medo.
Meu nome é Ciceero, e o seu?
Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre virgulas, aspas, reticências… eu vou gostando… eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou… e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos…
Caio Fernando Abreu.
A gente é a soma das nossas decisões, todo mundo sabe. Tem gente que é infeliz porque tem um câncer. E outros são infelizes porque cultivam uma preguiça existencial. Os que têm câncer não têm sorte. Mas os outros, sim, têm a sorte de optar. E estes só continuam infelizes se assim escolherem.
Martha Medeiros.
Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu.
Caio Fernando Abreu.
Nossas brigas duram menos que cinco minutos. Basta um toque seu pra me acalmar em um segundo eu esqueço de tudo. Nossos erros tão pequenos, fortalecem nossos sentimentos. Nossos medos, desencontros, não sem comparam ao nosso amor absoluto. Não tem nada que supere o amor da gente, não há nada que nos faça indiferente. E não há nada que resista a esse amor que a gente sente. Se precisar a gente briga, chora, volta mais uma vez. Separa, namora e casa outra vez.
Separa, namora.
Ah, já te fiz bem, não esquece.
Soulstripper.
Você pode ficar com quem você quiser, não tem nada a ver, eu não mando em você, mas ainda choro e quando alguém comenta não quero saber. Me preocupo, e apesar dos pesares eu sempre quero te ver bem, e ainda vou além, em uma relação sei que não vai ser fácil amar outro alguém. E hoje mesmo separados sinto que o seu corpo ainda é meu, às vezes me escondo e faço de tudo pra ninguém notar que eu vivo e morro por ti, tem semana que às vezes sofro e vem as recaídas. Às vezes eu queria ter o poder de poder te apagar da memória, e nessa fraqueza ter força pra fazer com que essa nossa história, não passe de passado e fique da porta pra fora. Se eu pudesse te apagar da minha mente, apagaria agora, mas toda vez que eu me lembro de nos dois meu coração sempre chora, e é sempre a mesma historia.
Recaídas.
Dizem que o tempo cura todas as feridas. Mas quanto maior é a perda, mais profundo é o corte. E mais difícil é o processo para ficar inteiro novamente. A dor pode desaparecer, mas as cicatrizes servem como lembrete do sofrimento. E o deixam preparado para nunca mais ser ferido. Enquanto o tempo passa… Nós nos perdemos em meio à distrações. Agimos por frustração, reagimos agressivamente, nos entregamos à ira. Durante todo o tempo tramamos, planejamos e esperamos ficar mais fortes. E sem que percebamos, o tempo passa. E estamos curados, prontos para começar de novo.
The originals. 
©