Às vezes não é o que a gente diz, mas a forma como a gente diz.
Gabito Nunes.
Vem cá, me abraça, sem pressa, sem demora, sem motivo, sem hora para ir embora.
Clarice Falcão.
Por diversas vezes eu disse a mim mesmo que iria esquecê-lo. Que iria aceitá-lo como o que ele realmente é, um amigo. Depois dessas diversas tentativas frustradas, hoje eu apenas aceito o fato de que talvez eu nunca deixe de amá-lo. E quer saber, não é tão ruim assim.
O vazio de Joe.
Eu passo 99% do tempo tentando entender o 1%.
Tati Bernadi.
Mas eu pensei que o amor fosse só alegria.
Nando Reis. 
Sempre me senti diferente dos outros. Não mais bonita, não mais inteligente, não mais especial, não mais esperta, não mais maluca, não mais legal, apenas diferente. Sou diferente na forma de sentir, tudo que me toca, me toca fundo. Tudo que me alegra, me alegra muito. Tudo que me dói, dói forte, corta.
Tati Bernardi.  
Talvez não devesse, pensou. Quando pensou, já era tarde demais.
Caio Fernando Abreu.
Estava chorando. O tipo de choro que é silencioso e secreto. O tipo de choro que só eu percebia.
As vantagens de ser Invisível.
Nem faço muita questão que as pessoas me conheçam a fundo. Tem gente que não merece o nosso coração aberto. Certas pessoas não precisam conhecer nossa alma. Porque elas nem vão saber o que fazer com tanta informação. Tem gente ruim no mundo, já me convenci disso. Espero que você entenda isso também. E que não sofra tanto ao constatar que nem todo mundo quer o seu bem. Algumas pessoas sentem prazer em perturbar os outros. O que ganham em troca? Não sei. E nem quero descobrir.
Clarissa Corrêa.
Porque se não fosse amor, eu já teria desistido.
Maybe this is love.
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio. Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade. Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo. Porque metade de mim é o que eu penso, mas a outra metade é um vulcão. Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável. Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei. Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço. Porque metade de mim é amor e a outra metade também.
Oswaldo Montenegro.
De vez em quando eu me repito. Às vezes coloco vírgulas em lugares errados. Tenho uma mania ordinária de corrigir as pessoas. Quando eu não sei como agir dou risada. Se eu não gosto de alguém fecho a cara. Não consigo fingir que está tudo bem, quem faz isso pra mim é mestre - da falsidade. Sou radical ao extremo. E meu coração é mole. Mas até ele precisa ficar sozinho de vez em quando.
Clarissa Corrêa.
Ela fala com o coração e sabe que o amor, não é qualquer um que consegue ter. Ela é a sensibilidade de alguém que não entende o que veio fazer nessa vida, mas vive.
Caio Fernando Abreu.
Que sentimentalismo barato. Mas o rosto dela, de longe, parecia mais de 10 mil filmes de felicidade. Nunca havia visto coisa igual. Teve que se munir de uma couraça de ferro e apertar o estômago, os pulmões e os olhos pra não chorar.
Charles Bukowski.
Ninguém ligou, ninguém vai ligar. O visor do telefone não acusa uma mensagem perdida. E-mail, sinal de fumaça, uma chamada não-atendida. A tela da tv não parece uma saída. Eu vivo um refrão antigo, feito às pressas, plágio de uma bela melodia. Eu vivo um sonho toda noite, eu vivo a noite todo dia. O que eu não pude prever, o que eu não queria. E quando eu ver tv, vou ter sempre uma chance de lembrar.
Esteban.
©